Instituto de Letras comemora 50 anos

17/12/201815:31

Diretoria de Comunicação da UERJ

Uma unidade que reúne 130 docentes, 30 técnicos administrativos, 3000 alunos e muita história. O Instituto de Letras (ILE) completou 50 anos em 12 de dezembro com um dia de comemorações. Pela manhã, uma cerimônia no auditório 111 relembrou as origens da faculdade, com a presença de antigos e atuais diretores e a exibição de um vídeo com diversos depoimentos. À tarde, alunos apresentaram sua produção em um sarau.

Os fundamentos do ILE remontam à criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, do Instituto Laffayete, em 1941. Em 1968, os cursos foram separados, surgindo o Instituto Básico de Letras da então Universidade do Estado da Guanabara, que se tornaria Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1975. O nome atual ­­­– Instituto de Letras – foi oficializado em 1987.

“Venho hoje saudar uma das mais longevas unidades, que está nos primórdios da constituição desta Universidade, e desejar que esta celebração se repita por muitos anos”, disse o professor Roberto Dória, representando o reitor Ruy Garcia Marques.

“Sem vocês não haveria aquilo que mais tem nos puxado a vontade de lutar pela universidade pública, que é a escrita, a leitura. Eu, que sou de unidade parceira, o Instituto de Aplicação, entendo que seja fundamental a cooperação que o Instituto de Letras tem em muitas áreas da Universidade”, enfatizou o diretor do Centro de Educação e Humanidades (CEH), Lincoln Tavares.

No vídeo preparado para a ocasião (assista parte 1 e parte 2), diretores e vice-diretores que comandaram o ILE, funcionários e estudantes deram seus relatos. Desde o primeiro gestor, Luiz José Machado de Andrade, passando pelos professores eméritos Ivo Barbieri e Evanildo Bechara, até a atual diretora, Magali Moura, todos demonstraram orgulho pela trajetória de lutas e conquistas da unidade.

Magali contou sobre as dificuldades enfrentadas logo no primeiro dia no cargo, quando foi decretado o início de uma longa greve, mas enfatizou o compromisso cotidiano com a qualidade do ensino. “Ficamos enlouquecidos com tantos malabarismos que tivemos de enfrentar, mas o fizemos com muita força de vontade por querer continuar não só com nossos empregos, mas também para continuar a escrever esta narrativa, que é um importante capítulo na história da educação pública deste país. Temos como desafio para o fechamento dessa gestão criar um novo currículo de licenciatura que se oriente não só pelas exigências de lei, mas que também reflita nossos ideais para a formação de um bom professor”, disse a professora em seu discurso.

O ILE atualmente oferece cursos de graduação nas modalidades de bacharelado e licenciatura, sendo sete de dupla habilitação e dois de habilitação única, reunindo mais de 1700 alunos regularmente matriculados. Conta ainda com dez cursos de especialização, seis mestrados e dois doutorados. Atende a outras unidades acadêmicas, como a Faculdade de Comunicação Social, a Faculdade de Direito e o Instituto de Matemática e Estatística. Também desenvolve programas de extensão tanto para a comunidade interna quanto a externa.