IBRAG comemora 50 anos de existência

21/12/201812:42

Diretoria de Comunicação da UERJ

O Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes (IBRAG) comemorou, no último dia 12 de dezembro, seus 50 anos de criação. Com a presença do presidentes e vice-presidentes dos Conselhos Regional e Federal de Biologia, além de diretores de outras unidades acadêmicas, a cerimônia na Capela Ecumênica homenageou os funcionários e docentes que ajudaram na construção da história do instituto.

“Hoje estamos comemorando o Jubileu de Ouro de uma unidade que traz um grande orgulho a UERJ, que atende não apenas os seus próprios alunos, mas também integra a grade curricular de outras unidades da Universidade. O Instituto se destaca pela ativa participação em numerosos projetos de ensino, pesquisa e extensão, conta com muitos laboratórios em diversas áreas, pelo seu quadro de ótimos docentes e sua produção científica relevante, pela pós-graduação de elevado conceito junto à Capes e o curso de graduação em Ciências Biológicas. Viva o IBRAG, viva a UERJ”, homenageou o reitor Ruy Garcia Marques.

A professora Andréa Espinola de Siqueira, chefe do Departamento de Ensino de Ciências e Biologia, enfatizou a forma ramificada como os professores do Instituto atuam em outros setores de ensino da UERJ. Destacando a professora Marly Cruz Veiga da Silva, ex-diretora do Centro de Estudos de Biologia (CEBIO). “Em 93, a professora Marly começou a lecionar a disciplina “Ciência não tem idade” para a Universidade Aberta da Terceira Idade – UnATI, onde permanece até hoje”.

Após as celebrações e homenagens, os professores do IBRAG organizaram duas mesas redondas. As discussões tiveram os temas: “Caminhos da graduação e extensão: –  impactos no ensino”, comandada pelo professor Marcelo Lima, coordenador de Graduação do IBRAG, e “Pesquisa e Inovação: avanços e perspectivas”, coordenada pelo professor Egberto Gaspar de Moura, sub-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa.

Criado em 68, o ensino das Ciências Básicas da Saúde era desenvolvido na então Universidade do Estado da Guanabara em duas unidades: a Faculdade de Ciências Médicas e a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. As maiores transformações foram em 1974, ano que marcou a dedicação do professor Roberto em criar uma nova estrutura para o curso de Ciências Biológicas. Em 1975, com a criação do novo Instituto, ele foi escolhido como o primeiro diretor da unidade acadêmica. Em 14 de janeiro de 1997, o Instituto de Biologia foi nomeado Roberto Alcantara Gomes, em homenagem póstuma e ficou conhecido como IBRAG/UERJ.

Além da licenciatura em Ciências Biológicas e três habilitações para o bacharelado (Meio Ambiente e Biodiversidade, Saúde e Biotecnologia), o IBRAG oferece seis cursos de pós-graduação (pós-graduações em Biociências – PPGB, Biologia Humana e Experimental – BHEx, Meio Ambiente – PPGMA, Ecologia e Evolução – PPGEE, Biologia Vegetal – PGBV e Ensino de Ciências). Funciona em dois prédios da UERJ, no pavilhão Américo Piquet Carneiro e no pavilhão Haroldo Lisboa da Cunha. Também promove outras atividades práticas de campo do ciclo básico e de algumas disciplinas do ciclo profissional além de pesquisas são realizadas no campus Ilha Grande, no Centro de Estudos Ambientais e Desenvolvimento Sustentável (CEADS).