Universidade lança e-Museu Nacional do Esporte

30/05/201913:44

Diretoria de Comunicação da UERJ

Plataforma pretende preservar a memória do esporte nacional

Em parceria com o Arquivo Nacional e as empresas Ydreams e Gama, a UERJ  apresentou, na última quarta-feira (29/5), o projeto e-Museu Nacional do Esporte. A proposta é criar uma plataforma online que reúna um conjunto de acervos e informações disponíveis com a história do esporte no Brasil. A cerimônia de apresentação foi realizada no auditório da reitoria.

A vice-reitora, Maria Georgina Muniz Washington, destacou a importância do projeto que surgiu a partir de uma tese de doutorado e foi desenvolvido em parceria com a Pós-graduação em Educação Física e a Diretoria de Inovação (InovUERJ). “É um projeto que foi crescendo e reúne um time de secretarias do nosso Estado: a de Esporte, de Ciência e Tecnologia, e de Cultura, em conjunto com pessoas que amam o esporte. Um trabalho de pesquisa que não é restrito apenas à Universidade, mas que reverbera na sociedade como um todo”. Para a vice-reitora, o esporte é um meio de educação, cultura e desenvolvimento efetivo; principalmente para os mais jovens. “O e-Museu tem potencial de chegar em todos os lugares do país. Aquele menino que nunca teve acesso à história do esporte vai aprender, pesquisar e entender. O esporte está no brasileiro, nós amamos, mas conhecemos muito pouco. Nós precisamos conhecer para valorizá-lo”.

Grande idealizador do projeto, o professor e pesquisador do Instituto de Educação Física (IEFD), Lamartine Pereira da Costa, enxerga o e-Museu como uma plataforma de conectividade virtual que traga não apenas material de grandes museus ou instituições, mas também de colecionadores e pessoas envolvidas com a memória do esporte. “O projeto é uma esperança de um novo modelo para o desenvolvimento do esporte. Estamos buscando relações externas com os curadores e pessoas com histórias para contar”, disse um dos grandes nomes da pesquisa sobre esporte no país.

Com teor colaborativo, o projeto tem a participação do Arquivo Nacional, que já se disponibilizou a ceder materiais e registros sobre o esporte e personalidades importantes. Entre eles os arquivos pessoais das nadadoras e irmãs Sieglinde e Maria Lenk, doados recentemente por Francisco Silva Júnior, filho de Sieglinde. Durante a cerimônia, ele aproveitou a oportunidade para fazer a entrega do colar olímpico recebido pela Maria Lenk no ano 2000, em solenidade do Comitê Olímpico. Além do Arquivo Nacional, a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) também firmou um acordo com a UERJ, sendo a primeira confederação do país a disponibilizar seus arquivos. Carlos Fontenelle, secretário geral da CBB, esteve presente na cerimônia.

O projeto e-Museu teve o envolvimento de uma equipe multi e interdisciplinar em áreas de atuação como: tecnologia, educação física e comunicação. Os planos agora são profissionalizar a plataforma e buscar novas parcerias com  as federações e confederações de esporte no Brasil. Além da missão de apresentar a história do esporte nacional entre os brasileiros, a plataforma pretende alçar voos mais altos a partir da internacionalização, com a tradução do seu conteúdo em inglês e espanhol. Com a praticidade do acesso a essas informações, o e-Museu prova que o esporte é de todos e para todos.