Estudo mundial com participação do Hupe avalia experiências de gestantes e pais durante o período da pandemia

14/04/202119:29

Diretoria de Comunicação da UERJ

E quando você descobre uma gravidez em meio a pandemia? E se o seu bebê nascer durante este período? Estes são alguns dos questionamentos, dúvidas e expectativas de quem encara ou encarou uma gestação no último ano. Mapear as dificuldades e entender os desafios e preocupações dos pais que esperam ou deram a luz nesta época é o objetivo de um estudo mundial que, no Brasil, está sendo coordenado pela Obstetrícia do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe/Uerj). Os dados apurados servirão de base para entender o impacto do surto de Covid-19 nestas famílias e apontar como traçar redes de apoio para acolhê-las e melhorar o atendimento a famílias em todo o mundo.

A pesquisa é uma iniciativa da Stillbirth Centre of Research Excellence desenvolvida simultaneamente no Brasil,  Austrália, Itália, Espanha, Reino Unido, Canadá e EUA. Aqui no país, o médico obstetra Guilherme Ramires de Jesus, do Núcleo Perinatal do Hupe/UERJ é um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo intitulado “Continuando o cuidado na pandemia de Covid-19: Um questionário global sobre experiências de novos e futuros pais”.

“Estudos já mostraram um impacto psicológico e mental importante na população pela pandemia, mas não há dados específicos em grávidas. Nosso objetivo é saber como a pandemia afetou as gestantes e seus parceiros, tanto no aspecto psicológico como em dificultar o acesso ao sistema de saúde, buscando especificar os problemas e preocupações”, explica Guilherme de Jesus. Para ele, é fundamental entender o panorama específico que a pandemia gerou, tanto para os novos pais quanto para aqueles que, infelizmente, não conseguiram chegar ao final da gestação, ou tiveram a perda da criança. “As pacientes que perderam os bebês terão um estudo mais detalhado neste impacto, em como a pandemia dificultou o suporte para essa população especial”, ressalta.

Questionário on-line – O obstetra orienta que a pesquisa seja respondida por mulheres e parceiros que passaram por gestação a partir de 30 de janeiro de 2020 e também pais que sofreram a perda de seu bebê (natimorto ou morte neonatal) durante este período. O questionário apresentado é totalmente on-line e leva alguns minutos para ser preenchido. As perguntas circulam entre questões como a efetivação do pré-natal, se houve ou não dificuldades de atendimento, elaboração e execução de plano de parto, saúde física e emocional dos pais e do bebe e outras. A ideia é levantar dados que apontem como  melhorar as redes de apoio e atenção à gestação.

Quando o estudo terminar, todos poderão acessar os resultados finais no mesmo site da pesquisa. Além disso, durante o processo, pesquisadores do Hupe e de mais três instituições parceiras (Universidade de São Paulo, Centro Universitário Santo Agostinho e Universidade Estadual do Norte do Paraná) estarão disponíveis para esclarecer qualquer dúvida. 

Acesse o questionário

(Por Coordenadoria de Comunicação Social do Hupe/ComHupe)