Idosos são foco de pesquisas, estudos e ações da Uerj

04/05/202012:02

Diretoria de Comunicação da UERJ

Diante do atual cenário de enfrentamento da pandemia de Covid-19, a Uerj está dedicada tanto à assistência imediata à população, por meio de suas unidades de saúde, como ao desenvolvimento de ações, pesquisas e estudos visando à geração de conhecimento nas mais variadas áreas.

Duas unidades da Universidade vêm se debruçando especificamente sobre as questões que envolvem um dos grupos mais vulneráveis à doença – os idosos.

A Universidade Aberta da Terceira Idade da Uerj (UnATI), ao longo dos seus 27 anos, já se consolidou como um centro de promoção e divulgação de conhecimentos sobre os idosos e, mais ainda, de assistência e integração da terceira idade. Na conjuntura atual, não poderia ser diferente.

Recentemente, a UnATI divulgou um relatório técnico da Frente Nacional de Fortalecimento às Instituições de Longa Permanência para Idosos, que contou com a participação de diversos estudiosos, pesquisadores e profissionais da área do Envelhecimento Humano, entre eles integrantes da Uerj e da própria UnATI. O documento visa subsidiar a Comissão de Defesa dos Direitos do Idoso da Câmara Federal no enfrentamento emergencial da pandemia da Covid-19, com ênfase nas instituições de acolhimento.

Segundo o relatório, a população residente nessas instituições, credenciadas ao Sistema Único de Assistência Social (Suas), chega a 78 mil pessoas, muitas delas acamadas e com comorbidades (duas ou mais doenças relacionadas e ao mesmo tempo), sendo ainda mais vulneráveis ao novo coronavírus. Além de propor orientações emergenciais voltadas a essas instituições, o relatório apresenta ainda uma síntese de boas práticas no cuidado institucional, da imunização à dimensão religiosa, além de questões referentes às áreas jurídicas e de financiamento. (Acesse o relatório na íntegra)

Outra produção da UnATI que merece destaque é a Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia (RBGG), que está com chamada aberta para submissão de artigos científicos sobre o novo coronavírus e a Covid-19. Os interessados devem acessar o site da revista e seguir as orientações.

Além disso, a publicação vem disponibilizando uma série de artigos científicos, vídeos e reportagens sobre a pandemia e a população idosa. Os conteúdos podem ser conferidos na sua página no Facebook.

A RBGG (Qualis A4) é especializada na produção científica em Geriatria e Gerontologia, com o objetivo de contribuir para o aprofundamento das questões relacionadas ao envelhecimento humano.

 

Percepções dos idosos no contexto da pandemia

Outra unidade com pesquisas na área é o Instituto de Psicologia (IP), que iniciou o levantamento de informações sobre crenças, atitudes e sentimentos dos idosos no contexto da pandemia. O estudo visa mapear alguns indicadores de saúde mental e conhecer um pouco mais sobre as percepções desta população, principalmente agora neste período de isolamento social.

“Acreditamos que esta pesquisa tenha o potencial de gerar informações relevantes que poderão pautar intervenções futuras para amenizar os impactos psicológicos da pandemia nos idosos”, explica Heloísa Gonçalves Ferreira, coordenadora do trabalho.

As pessoas com 60 anos ou mais, interessadas em participar voluntariamente, podem responder ao questionário eletrônico, de fácil e rápido preenchimento. Os dados dos participantes serão tratados em conjunto, não permitindo a identificação individual. Os resultados serão divulgados em publicações e congressos científicos e poderão orientar ações e a produção de conteúdos voltados à saúde dos idosos.