Pesquisa da Uerj mapeia casos de Covid-19 em São Gonçalo

10/04/202012:18

Diretoria de Comunicação da UERJ

Professores e alunos do grupo de pesquisa Dinâmicas Ambientais e Geoprocessamento (Dageop) da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP-Uerj) também entraram na luta contra a pandemia do coronavírus. Eles não são da área da Saúde, mas sentiram que podiam contribuir utilizando as técnicas da cartografia e do georreferenciamento para mapear os casos da Covid-19 no município de São Gonçalo.

Segundo o coordenador do Dageop, professor Phillipe Valente Cardoso, o objetivo é conscientizar a população sobre o avanço da doença. “Por meio deste levantamento, esperamos mostrar às pessoas aonde o vírus já chegou e como está avançando, para reforçar que é preciso ficar em casa”, afirma Cardoso.

De acordo com a prefeitura de São Gonçalo, o município registra 40 casos de Covid-19, com três óbitos até o momento. Além disso, 1.217 casos suspeitos estão sendo investigados. Com esses dados, o mapeamento comprovou que os bairros com os maiores índices da Covid-19 também são os que concentram o maior número de idosos, grupo de risco para a doença.

Mutondo, Colubandê, Porto Novo e Porto Madama apresentam mais casos confirmados da doença, sendo 4, 3, 2 e 2, respectivamente, e uma média de 13% de idosos entre seus moradores. O grupo de pesquisa elaborou um mapa mostrando a distribuição de pessoas acima de 60 anos no município.

Para Beatriz Mourão Lopes, de 21 anos, estudante de graduação da Geografia FFP-Uerj, é um prazer e uma responsabilidade fazer parte desse projeto. “São Gonçalo é o segundo município fluminense mais populoso. Tem muita gente nas ruas ainda. A cidade não terá estrutura para tratar de tantos pacientes”, ressalta.

Os dados da pesquisa são divulgados diariamente no site e nas redes sociais do Dageop. Acompanhe você também. Acesse: www.dageop.com.br e  @dageop.ffp (Instagram e Facebook).