Uerj integra plano de ações conjuntas de enfrentamento à Covid-19 nas favelas do Rio de Janeiro

02/03/202118:58

Diretoria de Comunicação da UERJ

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) vem participando de um plano de ações conjuntas contra a Covid-19 nas favelas do Rio. A iniciativa reúne outras instituições, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além de lideranças comunitárias e movimentos sociais do Complexo do Alemão, Cidade de Deus, Maré, Rocinha e Santa Marta. O objetivo é atuar no atendimento médico, prevenção e apoio social para as populações que vivem em territórios periféricos.

De acordo com a pró-reitora de Extensão e Cultura, Cláudia Gonçalves, a prioridade é auxiliar as comunidades que permanecem invisibilizadas e sofrem com a ausência de políticas públicas protetivas durante a pandemia. “De forma histórica e única, as universidades criam uma unidade com os coletivos de territórios de favelas. A Uerj entende a responsabilidade de fazer uma ponte de mão dupla, respeitando a troca de saberes, aproximando diferentes agentes sociais e propiciando o resgate da cidadania”, afirma a pró-reitora, que integra a coordenação executiva do plano como representante da Uerj.

Entre as ações já executadas, destacam-se o repasse que a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) fez para a Fiocruz, em dezembro de 2020, na ordem de R$ 20 milhões, para auxiliar no financiamento de projetos relacionados ao combate à doença; a utilização do  Painel Unificador Covid-19 nas Favelas e  as atividades do Dia Estadual de Mobilização para o Enfrentamento da Covid-19 nas Favelas do Rio de Janeiro. Na ocasião, um evento on-line promoveu debates, o lançamento da campanha  “Vacina pra Favela, Já!”, grafitaços, distribuição de máscaras e panfletagem nas ruas de várias comunidades.

Papel social 

Durante o encontro “Favelas e Universidades no enfrentamento à Covid-19″, realizado em fevereiro, a pró-reitora ressaltou o papel social das instituições neste momento de crise sanitária. “As universidades precisam se abrir para o século XXI, integrando seus espaços, consolidando parcerias, ampliando o compromisso com a democracia”, pontuou.  Para Gonçalves, os impactos do novo coronavírus são diferenciados, principalmente nos solos urbanos das favelas. Por isso, é fundamental a manutenção de redes de apoio que se posicionem a serviço da população e em defesa da vida.

A Uerj tem tradição de promover projetos de extensão em diferentes regiões do Rio de Janeiro. “Esta é uma missão da nossa instituição, que possui vínculos sólidos em locais como Mangueira, Salgueiro, Maré, Macacos, entre tantos. Sempre tivemos esse comprometimento com a população”, declarou a pró-reitora.

Edital para combate à Covid-19

A Fiocruz deverá lançar em breve um edital público para selecionar 140 propostas destinadas a mitigar o avanço da Covid-19. Um comitê científico, definido por representantes das instituições que compõem o grupo, será responsável pelas avaliações e os projetos aprovados receberão financiamento com os recursos repassados pela Alerj.