Parceria entre a Uerj e a Secretaria de Cultura vai garantir fortalecimento do artesanato em 44 municípios do estado

22/11/202110:28

Diretoria de Comunicação da UERJ

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SececRJ) lançaram, na última sexta-feira (19), o Programa de Fortalecimento do Artesanato Fluminense. Por meio de um Acordo de Cooperação Técnica, R$ 15 milhões serão investidos no setor, contemplando 44 municípios de várias regiões do estado.

De acordo com o coordenador da iniciativa, professor Gustavo Siqueira, o trabalho envolve ações de pesquisa e extensão. “A ideia é fomentar feiras de artesanato e subsidiar cursos de formação. Neste primeiro momento, o projeto vai mapear as necessidades locais, ouvir as demandas de artesãos que precisam retomar essa atividade tão abalada pela pandemia. Numa segunda etapa, vamos suprir essas necessidades e atuar na capacitação, seja para o mercado digital, contribuindo na divulgação dos produtos, seja para a organização de feiras e eventos”, afirmou. 

O reitor Ricardo Lodi ressaltou que a Universidade não deve se concentrar apenas em seus alunos, professores e técnicos, mas também abrir espaço para o diálogo com a sociedade em geral. “Esse projeto nos é muito caro pela sua capilaridade, pela capacidade de modificação das realidades dos municípios e das pessoas envolvidas. Tenho certeza que mudará a vida dos artistas, do público que será sensibilizado por esse trabalho, além da economia de cada uma das regiões”, disse Lodi.

Segundo a secretária de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros, a escolha da Uerj ocorreu justamente pelo poder de interlocução com todo o território fluminense e pela confiança no total empenho da instituição. “A gente precisava de um potente parceiro para fazer o programa acontecer. Contar com a academia nesse momento é fundamental, uma universidade que é do estado, é pública e possui tanta credibilidade”.

A secretária lembrou que as feiras de artesanato já têm sido alvo de políticas públicas estaduais, especialmente por meio da Secretaria de Turismo, mas agora o foco é diferente. “A Secretaria de Cultura vai olhar para aquele artesão que produz as suas peças não apenas como sustento, mas que faz desse processo de construção da atividade artesanal também uma atividade cultural, relacionada às nossas memórias, nossa ancestralidade. Vamos trazer essas pessoas para um instrumento de fortalecimento da economia criativa do nosso estado”, garantiu.

O evento de lançamento, realizado no Teatro Odylo Costa, filho, no campus Maracanã da Uerj, contou com a presença de representantes de diversos municípios da Região Metropolitana e interior. Na mesa solene, além do reitor, da secretária e do coordenador geral do programa, estiveram presentes o pró-reitor de Graduação, Lincoln Tavares; o prefeito de Miracema, Clóvis Tostes; o vice-prefeito de Cordeiro, Elvis Lima Costa; o deputado federal Aureo Ribeiro; e o coordenador do Programa do Artesanato Estadual, da Secretaria de Turismo, Marcel Vasconcelos.

Na plateia, a diretora das Casas de Cultura de Campos dos Goytacazes, Salvadora Cruz, se animou com o anúncio do novo programa. “É um sopro de esperança para esse povo que veio sofrendo por dois anos sem poder expor, sem poder mostrar seu trabalho. O artesanato vive basicamente das feiras. E esse apoio vai fortalecer sua retomada. Eu fiquei muito empolgada quando falaram hoje dos cursos, da capacitação, porque as pessoas estão realmente com a necessidade de novos conhecimentos, na área digital principalmente”.

O prazo previsto para execução do programa é de um ano, com início imediato e término em dezembro de 2022. Os municípios contemplados são: Angra do Reis, Aperibé, Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Cambuci, Campos dos Goytacazes, Cantagalo, Cardoso Moreira, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Porciúncula, Italva, Itaocara, Itatiaia, Laje do Muriaé, Santa Maria Madalena, Mendes, Miracema, Niterói, Santo Antonio de Pádua, Paraty, Paty do Alferes, Quatis, Queimados, Rio Bonito, Rio de Janeiro, São Fidelis, São Francisco de Itabapoana, São Gonçalo, São João da Barra, São José de Ubá, São Pedro da Aldeia, São Sebastião do Alto, Sapucaia, Silva Jardim, Tanguá, Teresópolis, Trajano de Moraes e Três Rios.