Fisioterapeuta da PPC tem tese premiada pela Capes e lança livro sobre a política nacional antitabagismo

12/06/202011:43

Diretoria de Comunicação da UERJ

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o fisioterapeuta Leonardo Henriques Portes lançou o livro Política de Controle do Tabaco no Brasil. O tabagismo vem sendo apontado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um dos fatores que aumentam os riscos de contaminação e de agravamento da Covid-19. O lançamento da obra foi no Dia Mundial sem Tabaco (31/5), que integra o calendário oficial de campanhas da OMS desde 1987. O autor é servidor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e atua na Policlínica Piquet Carneiro (PPC) mas, com os esforços concentrados no enfrentamento da Covid-19, ele está na linha de frente, desde o início da pandemia, reforçando a equipe do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe). 

O livro, editado pela Fiocruz, está disponível para aquisição digital na plataforma on-line SciELO Livros (books.scielo.org/fiocruz). A publicação tem origem na tese defendida em 2017 por Leonardo Portes, que concluiu doutorado na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz). A pesquisa “A política de controle do tabaco no Brasil de 1986 a 2016: contexto, trajetória e desafios”, sob a orientação das professoras Cristiani Vieira Machado e Silvana Rubano Barretto Turci, conquistou o Prêmio Capes de Tese 2018, na área de Saúde Coletiva – um importante reconhecimento acadêmico concedido a pesquisadores no país.

“O prêmio me motivou a publicar a tese, que tem mais expansão como um livro, atingindo mais pessoas. É uma oportunidade de dialogar com o público em geral, além do acadêmico”, comenta o autor.

Portes explica que o tabagismo pode agravar os sintomas de fumantes contaminados pelo novo coronavírus. O próprio Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão responsável pelas ações de elaboração e divulgação de materiais relacionados ao Dia Mundial sem Tabaco, está fazendo uma série de orientações sobre o tabagismo em tempos de pandemia. As recomendações destacam que deixar de fumar traz benefícios imediatos, incluindo a drástica redução dos riscos de desenvolver a forma mais severa da doença.

Em seu livro, o pesquisador analisa a trajetória e faz um balanço das políticas públicas de combate ao tabagismo ao longo de três décadas, marcadas pela implementação e pela consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS). Em seis capítulos, a obra mostra os avanços que permitiram resultados sanitários positivos, como a significativa redução da prevalência do tabagismo na população.

Saiba mais no vídeo de lançamento da obra.