Bolsa-permanência vai garantir estudos de alunos da pós stricto sensu em situação de vulnerabilidade socioeconômica

11/10/202117:40

Diretoria de Comunicação da UERJ

Mestrandos e doutorandos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) terão um importante incentivo a mais para continuar seus estudos e pesquisas. A Reitoria aprovou a criação da Bolsa-permanência na Pós-graduação, destinada aos estudantes selecionados por meio da reserva de vagas e também àqueles ingressantes por ampla concorrência que comprovem situação de vulnerabilidade social e econômica.

De acordo com o Ato Executivo de Decisão Administrativa (Aeda) 048/2021, a bolsa-permanência dos alunos da pós stricto sensu terá o mesmo valor da paga atualmente aos cotistas da graduação. Para obtenção do benefício, o aluno precisa ter matrícula ativa e não estar vinculado a nenhuma outra bolsa interna da Uerj ou concedida por agências de fomento à pesquisa, exceto nos casos expressamente autorizados.

A Bolsa-permanência será atribuída pelo período máximo de um semestre, podendo ser prorrogado por até dois semestres, dependendo dos recursos orçamentários disponíveis e da manutenção do vínculo do estudante ao curso. A Pró-reitoria de Políticas e Assistência Estudantis (PR4) será responsável pela regulamentação, procedimentos e execução do pagamento do auxílio.

Segundo o reitor Ricardo Lodi Ribeiro, a medida chega para preencher uma lacuna na assistência aos cotistas da pós-graduação. “Essa é uma dívida que a Uerj começa a pagar com nossos mestrandos e doutorandos que ingressam na Universidade pelo sistema de reserva de vagas. E uma grande novidade é que essa bolsa não vai contemplar só os cotistas, mas também aqueles em vulnerabilidade social, a partir de critérios a serem definidos pela PR4, a exemplo do que foi feito na entrega de tablets e pacote de dados. Estamos apostando forte na política de permanência estudantil para atravessar essa pandemia com o menor índice de evasão estudantil possível”, ressalta.