HUPE faz campanha constante para doação de medula óssea

20/09/201918:18

Diretoria de Comunicação da UERJ

O Dia Mundial do Doador de Medula Óssea (WMDD, da sigla original do nome em inglês) é comemorado no terceiro sábado de setembro. A data é especial para quem doa e recebe transplante. O Laboratório de Histocompatibilidade e Criopreservação (HLA- UERJ) realiza campanha constante para manter seu cadastro atualizado.

A quantidade de doadores voluntários tem aumentado expressivamente nos últimos anos, tornando o Brasil o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos registros dos Estados Unidos (7,9 milhões de doadores) e da Alemanha (6,2 milhões de doadores). O HLA em parceria com o Banco de sangue Herbert de Souza do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) está disponível a receber diariamente novos cadastros.

Em 2000, existiam apenas 12 mil inscritos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Naquele ano, dos transplantes realizados, apenas 10% dos doadores eram brasileiros. Agora, há mais de 4,8 milhões cadastros, aumentando a chance de se identificar um doador compatível no país. Na fase preliminar de busca esse índice chega a 88%. Ao final do processo, 64% dos pacientes têm um doador compatível confirmado.

Doar sangue não é apenas um ato de solidariedade. A doação é totalmente voluntária e pode beneficiar qualquer pessoa. Não importa quem será beneficiado, o importante é que pessoas terão novas chances e oportunidades de recomeçar. Os estoques dos bancos de sangue não podem ficar vazios.

O Banco de sangue Herbert de Souza do HUPE/UERJ – Boulevard 28 de setembro, 109 – Vila Isabel – Rio de Janeiro – (21) 2868-8134.

Para ser um doador de medula é necessário:

  • Ter mais de 18 e menos de 54 anos de idade;
  • Estar em bom estado geral de saúde;
  • Não ter doença infecciosa ou incapacitante;
  • Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico;
  • Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisadas caso a caso;
  • Nunca ter se cadastrado como doador de medula óssea em uma campanha anterior ou em Hemocentro. Você só precisa se cadastrar uma única vez;
  • Comparecer ao local da campanha ou no Hemocentro, em um dos dias e horários estabelecidos, munido de documento original com foto, emitido por órgão oficial;
  • Haverá, no local, um profissional capacitado para responder todas as suas perguntas e esclarecer suas dúvidas;
  • Você preencherá um formulário com seus dados e assinará um Termo de consentimento livre e esclarecido;
  • Você receberá uma cópia do termo de consentimento;
  • Será coletada uma pequena quantidade do seu sangue para análise por meio de exame de histocompatibilidade (HLA), um teste de laboratório para identificar suas características genéticas. Essa tipificação HLA é necessária para avaliar a compatibilidade entre você e o paciente que irá receber a sua medula óssea;
  • Os seus dados e o tipo de HLA serão incluído no Registro Nacional de doadores de Medula Óssea (REDOME);
  • Quando aparecer um paciente necessitando de transplante de medula óssea, os dados de compatibilidade serão verificados;
  • Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados;
  • Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde;
  • Somente após a conclusão dessas etapas, você será considerado apto e realizar a doação;
  • O processo de doação é realizado no INCA ou no Hospital da UFRJ, com equipe especializada.

No próximo dia 24, o HLA e o Centro de Produção da UERJ promovem uma palestra para sanar as principais dúvidas referentes à doação. Para mais informações, acesse: