Elevadores do Campus Maracanã passam por processo de modernização

12/04/201913:28

Diretoria de Comunicação da UERJ

Investimento na atualização tecnológica irá melhorar a eficiência do sistema de elevadores da Universidade

A infraestrutura da UERJ segue recebendo investimentos. Após promover melhorias na modernização do sistema de suprimento ininterrupto de energia condicionada (no break) e na rede de captação e bombeamento de água, no âmbito do Campus Francisco Negrão de Lima, a Prefeitura dos Campi vem promovendo a modernização dos elevadores do campus Maracanã. Em curso desde o dia 08 de fevereiro, o processo já estava há algum tempo previsto no planejamento orçamentário mas, devido à crise financeira, somente agora pode ser implantado.
A modernização dos elevadores foi priorizada como meta de atual gestão, considerando os constantes defeitos causados pelo desgaste de seus componentes e pelo transtorno diário no tráfego de passageiros das unidades acadêmicas e administrativas do Pavilhão João Lyra Filho e Pavilhão Haroldo Lisboa da cunha.
A modernização compreende a substituição dos seguintes componentes: casa de máquinas com troca do quadro de comando de eletromecânico para eletrônico; troca dos motores de correntes contínua para corrente alternada e outros pormenores; caixa de corrida, com troca do conjunto da cabine e materiais de segurança; pavimentos com troca das portas e botoeiras de chamadas e sinalização.
Fabricados na década de 70, os 15 elevadores presentes no campus estão divididos entre o Pavilhão Reitor João Lyra Filho, que conta com dez cabines destinadas ao fluxo de passageiros e duas de carga; e Pavilhão Haroldo Lisboa da Cunha, que possui duas de passageiros e uma de carga.
O projeto de reforma, aprovado em 08/02/2019, está ocorrendo efetivamente desde 18/03/2019, por etapas e tem duração prevista de 12 meses. Atualmente o Pavilhão Reitor João Lyra Filho recebe as modernizações em parte dos seus elevadores. O valor do investimento é de R$ 3,3 milhões, num contrato licitado que tem a vigência de 18 meses e está sob a fiscalização da Coordenadoria Executiva de Infraestrutura (CEIE), órgão da Prefeitura dos Campi.
Para a aluna Brenda Ferreira, de Relações Públicas, a modernização é um processo necessário. “Com a melhora no funcionamento dos elevadores, os estudantes podem transitar entre os andares de forma mais rápida e segura”, explica. Durante a reforma, a interdição dos elevadores que recebem a reforma pode causar transtornos como o aumento das filas e congestionamento do hall dos elevadores, pequenos contratempos que logo serão compensados com o pleno funcionamento das máquinas.